Menopausa

OS 7 ALIMENTOS QUE PIORAM OS SINTOMAS DA MENOPAUSA!

91views

Então para te ajudar a passar por essa fase de uma maneira mais feliz e harmoniosa este período desafiador da menopausa, trouxemos para você os alimentos que deveriam ser PROIBIDOS por você a partir de AGORA.

#1 Arroz branco

O arroz branco faz parte do dia a dia da maioria dos brasileiros, muitos adoram, mas este alimento pode te atrapalhar na menopausa.

Ele é um carboidrato simples (amido) e, por isso, contribui para o aumento de gordura abdominal e impede a perda de peso.

O arroz apresenta alto índice glicêmico, isto é, ele é facilmente digerido e transformado em açúcar no nosso sangue (glicose). Com isso, a liberação de insulina aumenta rapidamente e nosso corpo armazena gordura. 

Frequência e quantidade de arroz

Primeiramente, tudo deve ser ajustado de acordo com os seus objetivos e com a sua situação atual. Faça uma autoavaliação:

  • Você está fora do peso ideal?
  • Quantos quilogramas deseja perder?
  • É sedentária?
  • Treina? Quantas vezes por semana?

Todos os tópicos acima afetam o quanto você pode comer para chegar no seu objetivo, ou para manter o que já conquistou. Logo, você terá que alterar a frequência e as quantidades e testar o que funciona melhor no seu caso. Não tem um regra.

O ideal é reduzir o máximo possível e substituir por outros vegetais que saciam, têm mais nutrientes e fibras, e não elevam tanto a glicemia. Com isso, você vai consumir alimentos para menopausa mais adequados e mais saudáveis.

Substitutos do arroz

O arroz integral tem mais nutrientes e fibras, por causa da casca que não é retirada na produção. Também é um carboidrato e estimula menos a insulina que o arroz branco.

Porém, se você deseja emagrecer, trocar um pelo outro não vai resolver o problema. O arroz integral é menos pior, mas não é a melhor opção, pensando em alimentos para menopausa.

Outros mantimentos que podem substituir o arroz são: brócolis, couve-flor, repolho, quinoa. Use a criatividade.

Dica: sabia que é possível fazer um “arroz falso” com a couve-flor picada e temperada?

Se você gosta muito e faz questão de comer arroz, ajuste a quantidade e o número de vezes que você come na semana.

Não precisa ser uma tortura! Faça pequenas mudanças diariamente, assim você conseguirá mudar seus hábitos sem desespero.

Logo, se você come arroz todos os dias no almoço e no jantar, que tal tirar a porção do jantar?

Ou, se você come 4 colheres de sopa, que tal reduzir para 2 ou 3?

O importante é tomar alguma atitude e começar com os pequenos passos.

#2 Batata inglesa (batata comum)

A batata é um tubérculo muito versátil e pode ser consumida de várias formas: purê, assada, cozida, souté e etc. Mas saiba que, não é apenas a batata frita que pode atrapalhar seus resultados na menopausa.

Apesar de ser saudável, e isso depende de como você vai preparar esse alimento, a batata não ajuda no emagrecimento. Isso ocorre pois, assim como o arroz, ela também é um carboidrato simples, que é absorvido rapidamente, elevando a insulina a níveis que bloqueiam a entrada nas células e que direcionam o excesso para a formação de gordura.

Logo, além de acumular gordura, o consumo de batata também impede o emagrecimento. E isso faz dela uma má escolha dentre os alimentos para menopausa.

Como eu já disse, cada caso é um caso e tudo depende da sua necessidade.

Quer perder peso? Reduza o consumo de batata até sentir diferença na balança.

Substitutos da batata

Novamente, se seu objetivo é perder peso, você deve substituir a batata por outros legumes e vegetais que tenham menor índice glicêmico, como: berinjela, repolho, brócolis e couve-flor.

Por isso, o segredo é colocar a mão na massa e aprender a fazer receitas gostosas e saudáveis com outros alimentos que vão te favorecer.

Querida por muitos que adotam uma alimentação saudável, a batata doce tem o índice glicêmico menor, tem mais fibras, mas é mais calórica. Logo, trocar a batata inglesa pela batata doce não funciona, se você precisa perder peso. 

Preste atenção! Outros alimentos que seguem a mesma linha, ou seja, são ricos em carboidratos, e, portanto, devem ser evitados para o emagrecimento e perda de gordura abdominal são:

  • Milho;
  • Mandioca;
  • Tapioca;
  • Pão de queijo.

Lembre-se: alimentos ricos em carboidratos e com alto índice glicêmico pioram o peso e a gordura abdominal. Restrinja-os o máximo que puder no seu dia a dia.

#3 Farinha de trigo branca

A farinha de trigo branca também é outro alimento muito frequente na mesa dos brasileiros. Muitas vezes, pode estar presente em todas as refeições!

Alguns alimentos feitos com farinha de trigo são:

  • Pizza;
  • Esfirra;
  • Kibe;
  • Pão;
  • Torta;
  • Bolo;
  • Bolacha e etc.

Assim como os outros alimentos citados acima, a farinha de trigo é um carboidrato que possui rápida absorção, gera pico de insulina e, consequentemente, ajuda a armazenar gordura e impede o emagrecimento.

Além disso, o trigo possui glúten, que é formado por 2 proteínas: glutenina e gliadina. Entretanto, nosso organismo não é capaz de reconhecer e digerir essas 2 substâncias de forma adequada.

Por isso, o glúten gera várias reações negativas em nosso corpo e deve ser evitado nos alimentos para menopausa. Muitas vezes, não percebemos que vários sintomas são consequência do consumo de glúten, pois comemos essa substância desde criança. Portanto, achamos que esses problemas são normais, ou que não são causados pela alimentação inadequada. 

Os sintomas negativos do consumo de glúten são:

  • Inchaço;
  • Dor de cabeça;
  • Fadiga;
  • Cansaço;
  • Falta de concentração;
  • Falta de memória;
  • Ansiedade;
  • Depressão;
  • Irritabilidade;
  • Dores articulares;
  • Fibromialgia;
  • Estufamento abdominal;
  • Intestino preso;
  • Dor na perna;
  • Dor de cabeça;
  • Dor abdominal.

Tudo isso pode ser sentido em qualquer fase da vida. Porém, tende a piorar com passar do tempo e a menopausa.

Experimente ficar alguns dias sem glúten e você vai sentir a diferença!

Depois, me conte nos comentários o que achou dessa experiência.

Mas dá onde veio o glúten?

Ele está presente no trigo, na aveia (contaminação cruzada), no malte, na cevada e no centeio. E foi introduzido pela indústria alimentícia. A presença de glúten é capaz de contaminar outros alimentos (contaminação cruzada), na indústria e até mesmo na sua casa.

Nos últimos 50 anos, a farinha foi modificada a fim de aumentar a produção em alta escala e também acelerar a colheita e o tempo de produção. Além disso, o glúten foi adicionado pois as proteínas que o formam interagem entre si. Assim, quando hidratado, o glúten forma uma rede. 

Por isso, a farinha é tão viciante e palatável. Pois o glúten, ao formar essa rede, tem a função de dar consistência à massa, auxiliar no volume e também no aspecto crocante dos alimentos. 

Porém, nosso organismo não conseguiu se adaptar e digerir o glúten. E assim, temos vivido acomodados com inúmeros dos sintomas negativos citados acima, sem saber o real motivo.

Substitutos da farinha de trigo branca

Para ser sincera, o ideal é ficar sem farinha. Mas, como muita gente não abre mão, uma alternativa é utilizar outras farinhas como a de aveia e a de linhaça. Lendo o rótulo e se atentando para a possível contaminação de glúten, que pode ocorrer na aveia.

Não existe nada melhor que fazer a própria comida, pois só assim, você pode ter certeza dos ingredientes que está comendo. Desta forma, você pode selecionar alimentos para menopausa que vão te favorecer nesta fase da vida.

No dia a dia, coma comida de verdade, feita por você! Deixe para comer alimentos pouco saudáveis apenas em ocasiões especiais.

Sua saúde vai agradecer!

Sendo assim, usar a farinha de trigo integral como substituto muda muito pouco. Apesar de ter mais nutrientes e o índice glicêmico mais baixo, as proteínas inflamatórias continuam a existir.

Entenda que é extremamente importante criar novos hábitos e ir excluindo, aos poucos, a farinha de trigo e o glúten do seu dia a dia. Só assim seu corpo vai saber como é viver sem todas aquelas reações inflamatórias que nos acompanham desde crianças.

Ter uma vida melhor só depende do seu esforço!

#4 Leite de vaca

Efeitos do leite na menopausa.

O leite humano é ideal para o nosso desenvolvimento após os nascimento, isto é, para suprir as necessidades de um filhote humano em crescimento. 

Porém, ao longo do tempo, os seres humanos adultos passaram a tomar o leite de vaca, um dos péssimos alimentos para menopausa.

Ou seja, além de nenhum outro mamífero, além de nós, tomar leite quando adulto, ainda consumimos o leite de outra espécie.

Portanto, da mesma forma que o leite materno é ideal para um bebê, o leite de vaca é ideal para um bezerro, não para um humano.

O primeiro problema é que o leite é rico em um carboidrato denominado lactose. Esta, aumenta muito a insulina e facilita o acúmulo de gordura por todo o corpo e também impede o emagrecimento.

Por tanto, ao tomar o leite pela manhã, na primeira refeição, você já desperta os hormônios que te farão engordar.

Além disso, a lactose, presente no leite, apresenta má digestibilidade, isto é, a maioria de nós não a tolera bem, mesmo sem saber.

O leite também possui uma proteína chamada caseína, que se torna alergênica devido à pasteurização. Esse processo submete o leite a altas temperaturas, a fim de matar todos os germes.

Por causa dessas substâncias, o leite é responsável por vários problemas, como:

  • Má digestão;
  • Estufamento;
  • Inflamação intestinal, que torna o intestino mais permeável e suscetível a fatores que podem afetar outros órgãos;
  • Dores intestinais;
  • Acne;
  • Alergia;
  • Refluxo;
  • Desequilíbrio da flora intestinal.

Logo, ninguém deveria tomar leite. Faz muita diferença excluí-lo do dia a dia. 

Tente e comprove os benefícios por si mesma!

Mas e o cálcio?

Apesar de rico em cálcio, o leite é pobre em magnésio e apresenta muito mais malefícios do que benefícios.

Além disso, você pode encontrar a combinação ideal de cálcio mais magnésio em vegetais verde escuros.

Substitutos do leite de vaca

Se você é daquelas que não consegue ficar sem leite, ou precisa de um substituto para abandonar o leite de vaca aos poucos, algumas opções interessantes são o leite de amêndoa e o leite de coco.

Cuidado! O leite desnatado engorda mais!

Isso mesmo! No leite desnatado, a gordura é reduzida, mas, no lugar dela, são colocados mais carboidratos!

O mesmo acontece com os produtos lacfree. Nesses casos, a lactose removida é substituída por outros carboidratos.

Se permita, pelo menos uma vez, testar todos os benefícios que a exclusão da lactose e do leite podem gerar!

Teste e comente! Tente ficar 15 dias zero lactose e avalie tudo o que mudou na sua vida.

Agora, se conseguir ficar 30 dias sem lactose, vai sentir muito mais as mudanças positivas.

Faça o melhor para você! Exclua o leite do cardápio, mesmo que seja aos poucos.

#5 Cerveja

young Woman with headache in bed

Efeitos da cerveja na menopausa.

A cerveja é a queridinha de muitos, principalmente aos finais de semana. Porém acumula gordura e é mais um inimigo entre os alimentos para menopausa.

Para começar, é um carboidrato líquido, assim, é absorvido ainda mais rapidamente que os carboidratos que precisam ser mastigados.

Além disso, nosso corpo não tem capacidade de armazenar álcool. Portanto, ele precisa ser queimado e usado como fonte de energia imediatamente!

Com isso, nosso organismo utiliza o etanol para fornecer energia e o carboidrato para armazenar gordura.

Além do mais, o álcool gera sobrecarga hepática. Logo, ele compromete a metabolização de diversas substâncias. Desta forma, até a metabolização de hormônios fica prejudicada. E precisamos destes hormônios para reduzir o risco de câncer de mama.

Atenção! Isso acontece com qualquer álcool!

Outra grande desvantagem da cerveja é o malte que, como já falei acima, é composto pelo glúten, composto altamente alergênico.

Portanto, o ideal é consumir o mínimo possível de cerveja, tanto em frequência, quanto em quantidade.

Se a sua saúde vem em primeiro lugar, exclua a cerveja da sua vida!

Você já parou para pensar o que você quer?

Por que você bebe?

Quanto você bebe?

Se você estiver pensando que você bebe porque é gosto, ou seja, é uma fonte de prazer, saiba que é possível encontrar prazer em muitas outras coisas que não são cerveja, nem outros alimentos.

Busque o prazer em atividades que vão contribuir para sua vida, não destruí-la.

A felicidade não pode estar na comida e na bebida. Assista um filme, vá ao cinema, ao teatro, saia com um amigo, leia, tenha um hobby, pratique um esporte. Isso sim agrega valor!

Só depende de você!

#6 Suco de fruta

Efeitos do suco na menopausa.

Suco de fruta prejudica o emagrecimento na alimentação para menopausa?

Sim! Acredite!

O primeiro ponto é que, quando tomamos um copo de suco, consumimos a fruta em maior quantidade. Pense assim: 

Se você quiser chupar laranja, quantas vai consumir? Possivelmente, uma. Certo?

Agora, se você for preparar 1 copo de suco de laranja, quantas laranjas vai consumir? Muitas! Não é?

Além da quantidade ingerida, as fibras se perdem no suco, consumimos mais carboidratos e ainda acumulamos frutose no fígado.

Sendo assim, as frutas parecem saudáveis, mas devem ser consumidas o mínimo possível, se você precisa emagrecer e perder gordura abdominal.

Você pode beber água, chás e café sem exageros. Lembre-se de que não se deve ingerir líquidos durante as refeições.

Entretanto, as frutas possuem vitaminas, minerais e fibras. Logo, se você está no peso ideal, consuma-as inteiras e sem abusar.

Algumas frutas que têm baixa frutose e são melhores são: 

  • Abacate;
  • Coco;
  • Morango.

Portanto! Fique atenta às frutas! Elas não podem ser consumidas à vontade.

#7 Alimentos termogênicos

Efeitos dos alimentos termogênicos na menopausa.

Por último, o conjunto de alimentos que são saudáveis, mas podem ser uma armadilha na alimentação para menopausa são os termogênicos.

Isso ocorre pois eles podem piorar o calorão. Ou seja, eles são usados para ajudar no emagrecimento, mas, na menopausa, podem gerar mais problemas do que benefícios.

Ao consumi-los, aumentamos a termogênese, ou seja, nosso corpo aquece, nossa temperatura corporal basal fica mais alta e, com isso, o calorão aumenta.

Logo, o cansaço gerado pelo calorão faz a mulher querer comer mais carboidratos, gerando compulsão alimentar.

Por isso, algumas mulheres podem não se adaptar a alimentos termogênicos, como:

  • Café;
  • Gengibre;
  • Pimenta.

Alguns chás, como o chá verde, também podem ser termogênicos e disparar calor.

Avalie se este é o seu caso e fique atenta. Reduza o consumo, se necessário.

Alimentação para menopausa é um pilar do tratamento

Concluindo, como você viu ao longo do artigo, são muito sintomas negativos que podem ser ocasionados pela má alimentação. Portanto, você precisa testar e adequar o seu plano alimentar de acordo com as suas necessidades.

Não é comer pouco e passar fome!

É comer direito, com qualidade!

Tenha calma!

Alguns resultados são rápidos, outros demoram mais. Portanto, persista!

Afinal, se você passou anos intoxicando seu corpo, não dá para esperar que tudo ocorra rapidamente. É preciso tempo para fazer o detox do seu organismo.

O segredo é melhorar um pouco todos os dias, passo a passo. Com isso, você vai mudar seus hábitos sem se torturar.

Me diga nos comentários: você já tomou alguma atitude para melhorar a sua alimentação? O que você achou? Qual será o seu próximo passo?

Aproveite e compartilhe esse artigo! Pois mais mulheres precisam saber que, muitos dos sintomas que elas sentem são decorrência da alimentação inadequada. E a menopausa é acompanhada de 76 sintomas diferentes, que pioram demais a vida.

É preciso buscar conhecimento e se autoconhecer!

Comer bem e cuidar da saúde são hábitos que evitam muitos medicamentos desnecessários.

2 Comments

Deixe uma Resposta